segunda-feira, 23 de março de 2015

TRIBUTO AO INESQUECÍVEL VICENTE DO PANDEIRO - PEDREIRAS-MA

Por Joaquim Filho

Saudoso - Vicente do Pandeiro
Artistas pedreirenses / trizidelenses realizaram no sábado (21) no Bar do Índio, na Praça do Jardim, um Tributo a Vicente do Pandeiro, falecido há uns seis meses. Se ainda estivesse entre nós, estaria hoje celebrando mais um aniversário. Vicente fez parte do movimento dos artistas da terra que participava das rodas de boêmias somente pelo prazer de tocar o seu pandeiro. Embora não vivesse profissionalmente da música, tinha o prazer de ser chamado de artista da terra. Muito colaborou para a nossa arte e nossa cultura chegar onde chegou. Agradecimentos a todos que apoiaram essa ideia, em especial ao Augusto Cajueiro Neto Cajueiro e poeta Edivaldo Eloi Santos. Fotos abaixo de Joaquim Filho.



  
  
  
  
  
  
  
  

Nota do Blog: Quero aqui deixar o meu carinho de saudades a esse amigo de uma alegria perpétua em vida, e de quem tive o prazer de chamá-lo de meu amigo. Paul Getty S Nascimento

terça-feira, 17 de março de 2015

CHICO CORINTO É HOMENAGEADO NO CIRCUITO DE SINUCA MA/PI - NA AABB DE SÃO LUÍS

Beto é Bi-campeão do Circuito MA/PI

Fabrício (Vice); Beto (CAMPEÃO) e Lourival (3º Colocado)

Neste domingo tivemos grandes decisões no 12º Circuito de Sinuca Maranhão-Piauí, onde o atleta maranhense Beto conquistou o título de campeão ao vencer o também maranhense Fabrício por 4 a 0, em melhor de sete partidas. O atleta Lourival, que perdeu na semifinal para Beto por 4 a 2, ficou na terceira colocação e o atleta piauiense Tião levou o quarto lugar, em razão de perder a semifinal para Fabrício. 

Na solenidade de premiação, o atleta CHICO CORINTO foi homenageado pela organização do Circuito por sua importante contribuição ao desenvolvimento, divulgação e valorização da sinuca nacional. 

A competição contou com a participação efetiva de quarenta e dois atletas dos dois Estados, os maranhenses e piauienses competiram, disputando os jogos na regra brasileira.

Chico Corinto - hoje Evangélico
CHICO CORINTO - Nascido na cidade maranhense de Pedreiras, o atleta Chico Corinto é um dos grandes campeões da sinuca nacional, onde conquistou importantes títulos nas décadas de 80 e 90, disputando campeonatos com nomes consagrados da sinuca brasileira, a exemplo de Rui Chapéu, Adilson, dentre outros. Corinto começou a jogar como profissional do esporte de salão no Rio de Janeiro, nos anos 70.

Em mais de 20 anos jogando em todos os estados da federação e no Distrito Federal, Chico Corinto conquistou 14 troféus em sua carreira, entre campeonatos nacionais e do Norte/Nordeste. 

No Maranhão, durante 15 anos consecutivos foi campeão de torneios, desafios populares e campeonatos disputados nos salões dos clubes Jaguarema, A.A.B.B. e Lítero. Corinto também foi campeão piauiense de sinuca profissional. 

É um dos poucos atletas brasileiros que exerceu a profissão de jogador profissional de sinuca e durante duas décadas foi considerado o maior atleta do esporte de todos os tempos, principalmente nos Estados do Norte/Nordeste. Essa carreira de sucesso até agora não foi superada por nenhum outro atleta nordestino. Atualmente, Chico Corinto é jornalista e apresentador de televisão em Pedreiras (MA). 

Diariamente apresenta o programa “Na Mira da TV”, na TV Rio Flores, afiliada da Rede TV.

Evangélico, Corinto não joga mais profissionalmente. Mas, acompanha de perto todas as competições de sinuca no país. “Hoje, o Maranhão é referência nacional de sinuca. Essa nova fase da sinuca profissional é um incentivo para novos jogadores. E hoje já temos grandes atletas em nosso Estado”, disse Corinto.“Agradeço essa homenagem dos meus amigos Nélio, Fausto, Lourival e de todos os atletas federados do Maranhão e do Piauí”, disse Corinto. 

Segundo ele, depois do futebol, a sinuca é o esporte com mais praticantes no país. “Em cada esquina tem dezenas de jogadores de sinuca pequena e grande. A sinuca é o esporte que cresce cada vez mais forte no Brasil”, concluiu.

Nota do Blog: Querido Tio, parabéns por essa bela história como profissional de sinuca, esporte esse que naquela época era muito discriminado, e hoje o resultado mostra uma realidade bem diferente. Tenho orgulho de você! Paul Getty S Nascimento

segunda-feira, 16 de março de 2015

LARA MARIANA CHUNG - Imitando Fátima Bernardes!

Lara Mariana tem 8 aninhos e é fã da apresentadora Fátima Bernardes, e nesse vídeo ela imita a Fátima no comercial da Seara. Veja abaixo.




quarta-feira, 11 de março de 2015

PARQUE MARATÁ PODE TORNAR-SE UMA ASSOCIAÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA

Por: Joaquim Filho

O vereador Manoel Belmiro encaminhou hoje (11) na sessão ordinária que aconteceu na Câmara de Trizidela do Vale-MA, o Projeto Lei nº 006/20015, de 10 de março de 2015 que pela história e pela importância que tem o Parque de Maratá para o município, considera de utilidade pública a Associação do Parque de Vaquejadas Maratá, tanto a matriz como as filiais.

Quem pensar que o projeto vem "puxar brasa para sua sardinha", pelo fato de ser cunhado do proprietário Paulo Maratá, está redondamente e culturalmente enganado, pois, em um texto que foi escrito para o Blog Pedras Verdes, naquela ocasião, falávamos que o Parque Maratá com as diversas vaquejadas e demais eventos que já realizara, tem chegado a um patamar que vai além do que muita gente pensa, até mesmo a família proprietária. O Parque se tornou um espaço do povo, uma marca forte e de grande referência cultural e turismo de Trizidela do Vale e Pedreiras.

O Projeto bem elaborado e bem conduzido pela Câmara foi solicitado pela Comissão de Justiça a dar mais uma olhada e uma estudada, mas isso não quer dizer que será rejeitado pela aquela Casa, coisa que se acontecer, será uma falta de sensibilidade dos senhores edis.

Segundo o vereador Belmiro (que tem sido uma voz forte nesses últimos tempos), por se tratar de uma entidade que presta relevantes serviços à sociedade Trizidelense e dedicada a promover e incentivar ações de inclusão social, cultura e artes, solicita o reconhecimento daquela associação com o Titulo de Utilidade Pública Municipal.


segunda-feira, 9 de março de 2015

MANOEL BELMIRO DE SOUSA: VÁ COM DEUS, “SEU” BIBI!

Por: Joaquim Filho

Lima Campos, Pedreiras, Trizidela do Vale e Região foram pegos de surpresas com a passagem para a vida eterna de MANOEL BELMIRO DE SOUSA, conhecido carinhosamente pelos seus familiares e amigos pela alcunha de “Bibi”. Com a extensa idade de 94 anos e já com a saúde debilitada, Manoel Belmiro faleceu neste sábado, dia 07 de março de 2015, véspera do Dia Interacional da Mulher, por volta das 8h30, em São Luís do Maranhão, onde passara suas últimas horas de vida. O velório e o sepultamento também ocorreram naquela referida cidade, um desejo dos familiares que fosse sepultado ao lado da sua consorte que também falecera a alguns meses passados.

Manoel Belmiro de Sousa "Seu Bibi"
Para deixar os leitores mais jovens em sintonia com a nossa informação, a pessoa a qual estamos falando, “seu” “Bibi”, trata-se do pai da senhora Iris Lane. Avô do empresário e poeta Paul Getty e do vereador de Trizidela do Vale Belmiro Neto.

Mas quem foi Manoel Belmiro de Sousa? O que esse senhor que viveu 94 anos fez e deixou para que nós possamos nos orgulhar dele e da sua história? Há um ditado que diz que todos que passam aqui pela Terra, não importam os seus feitos, mas todo mundo tem uma história a ser contado. E, Manoel Belmiro não foi diferente. Destarte, vamos contar um pouco sobre a vida desse homem.

Em 2013 o poeta e escritor Daniel Cavalcante, membro da Academia Pedreirense de Letras, lançou o livro intitulado “HOMENS E MULHERES QUE FIZERAM LIMA CAMPOS”, obra cujo evento de lançamento teve o nosso trabalho como cerimonial e, dentre as personalidades citadas no livro que o autor se refere que fizeram Lima Campos, lá está gravado o nome de Manoel Belmiro de Sousa, na página 99, no Capítulo XXII que poderá ser lido, pesquisado e estudado pelos leitores curiosos e sedentos de história. Eis o que narra o admirado confrade Daniel Cavalcante em seu rico e precioso livro:

“Manoel Belmiro de Sousa “bibi” nasceu no dia 1º de janeiro de 1921, no sítio Buritirana, município de Picos, estado do Piauí. Atraído pelos bons comentários que ouvia sobre Pedreiras e sonhando com dias melhores, “Bibi” veio e depois mudou-se para aquela cidade e procurou trabalho com o Senhor Luís Ferreira Lima, que possuía um comércio em Lima Campos que vendia de tudo, mas o principal artigo era tecido. Após os acertos com o patrão, “Bibi” veio para Lima Campos, chegando aqui em outubro de 1940.

Rapaz novo, trabalhador e de boa aparência, conquistou mais fregueses para o estabelecimento: as vendas aumentaram e, consequentemente, ganhou a confiança e a amizade do patrão.

Em 1942 casou-se com a jovem Valdomira Brito de Sousa, filha de Evaristo Batista de Araújo, que chegara a Lima Campos em 1932, vindo do Rio Grande do Norte, também fugindo da seca.

Trabalhou para Luís de Lima até 1947, quando, por decisão própria, resolveu demitir-se do emprego, para tentar a vida trabalhando como autônomo.

Antes, porém, de demitir-se, mandou construir uma casa grande, de taipa, na então Rua do Cajueiro, por ser o início do caminho para o importante povoado Santo Antônio dos Sardinhas. Hoje o local dessa casa é exatamente a esquina do lado esquerdo da Rua Dr. Joel Barbosa com a Avenida J.K.

“Bibi” mudou-se com a família para essa casa e instalou um comércio de mercadoria e de compra de produtos agrícolas disponíveis em nosso estado.

O sucesso desse empreendimento foi uma coisa nunca vista. Era como se só existisse esse comércio em Lima Campos. Todos só queriam comprar ou vender na PERSEVARANÇA, nome dado ao estabelecimento pelo proprietário.

Para se ter uma ideia, naquele tempo, meu pai tinha uma padaria, e “Bibi” comprava nossos pães para revender. Ele revendia mais de 50% de toda a produção, ou seja, sozinho vendia mais pão do que todos os outros comerciantes juntos.

O progresso foi tamanho que, seis meses depois, comprou um caminhão Chevrolet novo. Chegou a comprar duas carradas de babaçu por semana, mais de 30.000 alqueires de arroz por safra e centenas de arroba de algodão. A maior parte desses produtos era comercializada em Coroatá com as indústrias Aguiar, João Reis e Vitor Trovão.

Entretanto, todo esse progresso tinha um prazo para declinar, e o prazo chegou no dia em que “Bibi” comprou as terras de Santa Maria dos Novais. Não foi somente pela retirada do dinheiro do capital de giro para pagar as terras, mas porque, inexplicavelmente, o negócio não foi exitoso.

Diante das evidências dos maus pressentimentos, resolveu vender Santa Maria dos Novais e comprar outra propriedade em São Luís Gonzaga, propriedade essa que lhe deu certo equilíbrio, entretanto nunca mais os horizontes foram tão amplos como antes.

Em 1958, “Bibi” vendeu a propriedade em São Luís Gonzaga, mudou-se para Pedreiras e instalou um supermercado, que também não deu certo. Então, vendeu tudo e, mais uma vez, foi morar em São João da Mata, onde comprou outra propriedade. Em 1965, teve um AVC (acidente vascular cerebral) e, reconhecendo que não podia mais trabalhar, tornou a vender tudo o que possuía e aplicou o dinheiro no banco. Com as constantes trocas de nome da moeda brasileira e as mudanças no sistema financeiro, o dinheiro aplicado perdeu o valor e, praticamente, acabou-se.

Hoje ele aos 9º anos de idade, vive feliz com a esposa numa modesta residência em Pedreiras. É um crente fervoroso, pregador do evangelho. Gravou um CD evangélico, muito mais para divulgar a palavra de Cristo do que por interesse financeiro.

Tornou-se um homem paciente, e o temor de Deus o satisfaz. É conformado porque tem a absoluta certeza de que o enredo de sua vida foi escrito por intermédio do Divino. Para nós, antigos moradores de Lima Campos, que tivemos o privilégio de conviver com “Bibi”, estamos felizes por sabermos que ele está bem, que seu carisma é intocável e que suas qualidades de homem bom, honesto e trabalhador são presentes de Deus.”

Foi com essa narrativa com muita beleza e respeito que o poeta, escritor e historiador lima campense Daniel Cavalcante falou do seu amigo e conterrâneo que agora repousa na Santa Glória de Pai Celeste.

domingo, 22 de fevereiro de 2015

RENATO ROCHA EX-BAIXISTA DA LEGIÃO URBANA É ENCONTRADO MORTO EM GUARUJÁ

Renato Rocha era conhecido também como Negrete e tinha 53 anos. Segundo o IML, Renato sofreu uma parada cardíaca dentro de um hotel.

Renato (na esquerda) ao lado dos 
amigos da Legião Urbana
O ex-baixista Renato Rocha, integrante da primeira formação da banda Legião Urbana, foi encontrado morto, na manhã deste domingo (22), dentro de um HOTEL em Guarujá, no litoral de São Paulo.

Segundo a Polícia Militar, o corpo encontrado encostado na porta de um HOTEL no bairro da Enseada, por volta das 8h30, era do músico que fez parte da primeira formação da banda. De acordo com informações do Instituto Médico Legal (IML), Renato morreu em decorrência de uma parada cardíaca.

Ainda de acordo com a polícia, o corpo foi encontrado por uma amiga que acompanhava Renato na POUSADA. Segundo o delegado Caio Azevedo de Menezes, que está cuidando do caso, informou que Renato Rocha estava internado em uma clínica de reabilitação de dependentes químicos em Cotia, na Grande São Paulo. "Segundo a amiga que acompanhava ele, o Renato podia sair aos fins de semana da clínica e, por isso, estava em Guarujá. Ele estava hospedado há três dias no local. Foi essa amiga que deu a falta dele e que encontrou o corpo. Ela não estava no mesmo quarto do Renato na hora da morte", disse.

Após a remoção do corpo, que foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) da cidade, a polícia fez uma varredura no quarto do HOTEL. Segundo o delegado, além de não existirem marcas de violência, nenhum tipo de droga foi encontrada durante a perícia realizada no local. De acordo com o IML, ainda não há informações sobre local do velório e enterro do músico.

Redes sociais
A irmã do músico, responsável por administrar uma das páginas em homenagem a Renato nas redes sociais, postou uma mensagem falando sobre a morte do músico. "Renato faleceu nesta manhã, de parada cardíaca, em São Paulo. Vai com os anjos, Renato. Força ao seu casal de filhos, sua netinha, ao seu pai e aos seus demais familiares", diz a mensagem.

Roberto da Silva Rocha, também irmão do ex-baxista, escreveu em uma rede social que está de luto. "Meu irmão acaba de falecer em sampa, ele foi baixista do Legião Urbana, Renato Rocha, Negrete". Ele acrescenta ainda que o músico 'deixa um casal de filhos e uma neta que não curtiu'.

Legião Urbana
Renato da Silva Rocha, conhecido também como Billy ou Negrete, tinha 53 anos. Ele era baixista e compositor do Legião Urbana, banda da qual fez parte da formação original ao lado de Renato Russo, Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá.

Renato, que afirmou em entrevistas enfrentar problemas com drogas, foi convidado em 2014 para uma participação no projeto Urbana Legion. Ele voltou aos palcos para tocar os sucessos do Legião Urbana junto com o também ex-integrante Eduardo Paraná.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

A IMBECILIDADE DO POLITICAMENTE CORRETO - por Alexandre Garcia

PARA REFLEXÃO: QUARENTA ANOS


Meu amigo Sérgio lembra que em 1971, de traquinagem, quebrou o farol de um carro estacionado perto da casa dele. O pai soube, deu-lhe uma surra de cinta e o traquina nunca mais fez aquilo. Entrou para a faculdade e hoje é um profissional de sucesso. Em 2011, seu filho fez o mesmo, Sérgio reprisou a surra que levara, mas seu filho o denunciou e ele foi condenado à prestação de serviços comunitários. O filho caiu na droga e hoje está num abrigo para menores. 

Em 1971, o coleguinha mais moço de Sérgio sofreu uma queda no recreio, a professora deu-lhe um abraço e o menino voltou a brincar. Em 2011, outro menino esfolou-se no pátio da mesma escola, a diretora foi acusada de não cuidar das crianças, saiu na TV e ela renunciou ao magistério e hoje está internada, em depressão.

Em 1971, quando os coleguinhas de Sérgio faziam bagunça na aula, levavam um pito do professor, eram levados à direção e ainda sofriam castigo em casa. E todos se formavam prontos para a vida. Em 2011, a bagunça em sala de aula faz o professor repreendê-los, mas depois pede desculpas, porque os pais foram se queixar de maus-tratos à direção. Hoje fazem bagunça no trânsito e no cinema, incomodando os outros.

Em 1971, nas férias, todos saíam felizes, enfiados num Fusca. Depois das férias, todos voltavam a estudar e a trabalhar mais. Em 2011, a família vai a Miami, volta deprimida e precisa de 15 dias para voltar à normalidade na escola e no trabalho.

Em 1971, quando alguém da família de Sérgio adoecia, ia ao INPS, esperava duas horas, era atendido, tomava o remédio e ficava bom. Saía a correr, pedalar, subir em árvores de novo. Em 2011, os parentes de Sérgio pagam uma fortuna em planos de saúde, fazem exames de toda sorte à procura de câncer de pele, pressão nos olhos, placas nas artérias, glicose, colesterol, mas o que têm é distensão muscular por causa de exageros na academia.

Em 1971, o tio preguiçoso de Sérgio foi flagrado fazendo cera no trabalho. Levou uma reprimenda do chefe na frente de todos e nunca mais relaxou. Em 2011, o cunhado de Sérgio foi flagrado jogando xadrez no computador da empresa, o chefe não gostou e o puniu. O chefe foi acusado de assédio moral, processado, a empresa multada, o cunhado relapso foi indenizado e o chefe demitido.

Em 1971, o irmão mais velho de Sérgio deu uma cantada na colega loira de trabalho. Ela reclamou, fez charminho e aceitou um jantar. Hoje estão casados. Em 2011, um primo de Sérgio elogiou as pernas da colega de escritório, foi acusado de assédio sexual, demitido e teve que pagar indenização à mulher das belas pernas, que acabou no psiquiatra. Meu amigo Sérgio me pergunta o que deu em nós, nesses 40 anos, para nos tornarmos tão idiotas, jogando fora a vida como ela é.

Dei a resposta: é a ditadura da hipocrisia imbecil do politicamente correto.

sábado, 7 de fevereiro de 2015

RESTAURANTE JOÃO DO VALE: 36 ANOS DE HISTÓRIA!

Por: Joaquim Filho

Dona Luiza e Joaquim Filho
O mais antigo, tradicional, cultural e popular restaurante da região do médio Mearim está celebrando 36 anos de história. Estamos nos referindo ao restaurante João do Vale, esse que devido esse longo tempo de existência já é conhecido em todo Brasil, pois não há turista que chegue em Pedreiras que não queria conhecer, visitar ou se deliciar com a gastronomia que o mesmo vem oferecendo nesse tempo todo.

Por que o nome do restaurante leva o nome do poeta do povo, o maranhense do século João do Vale? É do conhecimento de todos que a proprietária do restaurante, a senhora Luiza Carlos Loyola, teve a oportunidade de ser amiga de João e conviveu com o compositor por longos anos e, devido a essa aproximação, foi autorizada a batizar o restaurante levando o nome da nossa maior expressão cultural, que por sinal foi autorizado por ele. 

Dona Luíza Carlos recebeu a visita do blog Pedras Verdes nessa manhã de sexta-feira (06) e, em conversa informal falou lembrou alguns momentos marcantes desses 36 anos: disse que tudo começou no ano de 1974 quando a mesma veio de Teresina para se instalar em Pedreiras, e foi na Rua São Joaquim, na baixada de Trizidela do Vale que ela inaugurou o seu estabelecimento. 

Depois, no ano de 1994 resolveu se mudar para a praia do Major Lucena, com a ajuda do seu filho empresário Ronaldo Medicamentos que ajudou a construir a casa, pois naquela época o percurso do rio passava pelas quelas imediações e era um local de atração turística. Mesmo com o problema do rio que deixou de passar com o seu leito pela praia do Major Lucena, o restaurante continuou no mesmo local e ainda se estabelece sem nunca ter perdido o seu patamar de mais tradicional e respeitado da região. 

Várias foram as grandes enchentes que alagaram a casa onde funciona o restaurante, que também é local de morada da proprietária - Praia do Major Lucena, nº 58 - Trizidela do Vale-MA, mas nem isso fez com que Dona Luíza saia daquele local. Quando enche, ela sai; quando seca, ela volta... 

Durante esse período de história, o ambiente cultural viu muitas personalidades da nossa cidade frequentarem o lugar e fazer do mesmo momentos marcantes de suas vidas como lazer e entretenimento. Segundo Dona Luíza, por lá passaram e deixaram saudades: Dr. Milson Coutinho (Desembargador e membro da Academia Maranhense e Pedreirense de Letras), Dr. Meraldo Branco (Advogado), Dr. Carlos Barbosa (Juiz de Direito), Dr. Luiz Braúna (renomado Advogado), Dr. Edivaldo Santos (Advogado, poeta, compositor e prosador), Edilson Macêdo (Padre e Professor), Antônio Santos (Industrial), Janduí Freitas (Fazendeiro), Dr. Pedro Barroso (Médico e ex-prefeito de Pedreiras por duas vezes); João de Sá Barrêto (Poeta, escritor, boêmio, compositor, violonista, contabilista e crítico literário), Diouro (Poeta, compositor e oficial de justiça), Chico Viola (Cantor e compositor), Família Mia, Zequinha de Apolínário, Nonato Matos (Poeta, compositor, funcionário da Receita Estadual) e muitos e muitos outros.

O restaurante João do Vale é bastante conhecido e é tradicional pela seu cardápio de uma comida caseira, leve onde a variedade de peixes, em especial o surubim sempre tem ao gosto do cliente; como também galinha caipira, carne de sol e outros pratos ao seu gosto. 

Em 2015 a JF. Produções vai estudar a forma de como comemorar esses 36 anos, onde a programação não vai faltar a música, poesia, muita comida e bebida e ainda muita gente bonita para celebrar essa festa. Aguarde! 

Fotos: Joaquim Filho
 
 
 
 

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

VEJA AS MÚSICAS CLASSIFICADAS DO III FESTIVAL DE MÚSICA CARNAVALESCA DE PEDREIRAS


NA ORDEM DE APRESENTAÇÃO NO SÁBADO, DIA 07 NA PRAÇA CORRÊA DE ARAÚJO EM PEDREIRAS

MÚSICA - AUTOR - INTÉRPRETE

01 - O Maestro - Samuel Barrêto - Carlos Mãozinha 
02 - Canção Rio e Mar - Chico Viola - Leandro 
03 - "A VIDA É UMA FESTA!" - Joaquim Filho - Joelson 
04 - Tô na Baba do Quiabo - Emanuel Nascimento - Marcelo Cruz 
05 - Somos Todos Iguais - Ronácio Ferreira - Josivan Pereira 
06 - Maria São Vocês - Gilmar - Laysla Mayra 
07 - Propina Brasil - Chagas Melo - Chagas Melo 
08 - Amante no Senado - Paulinho Nó Cego - Paulinho Nó Cego 
09 - Nordestino Solidário - Edivaldo Santos - Harlen Ronald 
10 - Click de Alegria - Manuel Santana - Vinicius Pereira.

Boa apresentação e sorte a todos os concorrentes!

Nota do Blog: Gostaria de comunicar que a ideia de transformar o Festival de Marchinhas para Festival de Música Carnavalesca foi minha (Paul Getty), por quê? Por que dessa maneira você abre o leque para os compositores em todos os ritmos de carnaval seja ele: Marchinha, Samba, Axé Music, Frevo, Marchinha Rancho, Samba Enredo etc... e Graças a Deus minha opinião foi bem aceita pela Secretário de Cultura - Cajueiro Pacheco!

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

OUÇA ABAIXO O SAMBA ENREDO EM HOMENAGEM AO PADRE EXAGERARDO!

Samba Enredo em homenagem ao nosso querido pároco de Pedreiras Zé Geraldo, alcunhado carinhosamente de "Padre Exagerardo" composta pelos amigos: Luiz Henrique (Pedras Verdes) Joaquim Filho e Paul Getty, na belíssima interpretação do sambista Raul Pacheco!



SAMBA ENREDO
SALVE, SALVE, SALVE, EXAGERARDO
Compositores: Luiz Henrique, Joaquim Filho e Paul Getty
Intérprete: Raul Pacheco

PELAS LADEIRAS DE PEDREIRAS! 
LÁ VEM ELE COM O TERÇO NA MÃO 
DE BATINA SUJA, JOELHO NO CHÃO, 
TEM LIDERANÇA E TEM DETERMINAÇÃO. 

ELE É UM CRISTÃO, DE CORAÇÃO, 
ABENÇOA - ÁGUA BENTA 
NA CABEÇA DO IRMÃO! 

ELE É UM CRISTÃO, E TEM PAIXÃO, 
DE VOZ PRATEADA 
AMOR, PAZ E ORAÇÃO! 

OH ABENÇOADO, ABENÇOADO, 
TAMO JUNTO E MISTURADO 
MEU PARTIDO, NÃO É PARTIDO NÃO! 
COM FÉ E ALEGRIA NO PÉ 
ELE SEMPRE TÁ COMIGO 
PRO QUE DER E VIER. 

O SINO ESTÁ TOCANDO 
NO TOM DO SANTUÁRIO 
DESSE LINDO CARNAVAL 
O POVO FESTEJANDO 
E O PADRE REZANDO 
A ALEGRIA É GERAL. 

SALVE, SALVE, SALVE, EXAGERARDO! 
GRANDE POETA ALADO 
NOSSO PADRE BEM-AMADO 

SALVE, SALVE, SALVE, ZÉ GERALDO! 
GRANDE POETA ALADO 
NOSSO PADRE BEM-AMADO 

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

HOJE É DIA DE EDVAN MATOS

Bom dia, povo Abençoado.

Hoje são 04 de fevereiro de 2015, e já se aproxima- se uma nova eleição Municipal por isso começa um novo ciclo nesse sentido vamos falar um pouco de politica.

"Novo Ciclo "
Devemos compreender o tamanho do problema da politica nos dias de hoje, mais jamais negá-la. A grande ruptura transformadora do próximo ano pode ser a politização forçada de toda uma geração que sempre detestou politica, foi às ruas em 2013, mas não sacou que, para as coisas mudarem, é preciso criar opções eleitorais que vençam as eleições e, estando no poder, não atuem apenas para manter esse poder conquistado.

Uma nova geração comprometida em trabalhar para reformar as regras do jogo e o funcionamento do Estado. Essa é a lição maior do jogo democrático. 

Tem quem se manifestou para expor a fúria dos anos de opressão, tem quem saiu às ruas para reviver os anos rebeldes, tem quem está exausto e não aguenta mais tanta coisa errada. Mas, perceba, precisamos ter também muitos que arregacem as mangas e façam da politica uma opção de vida, enfrentando as dificuldades de todo este sistema corrompido para criar novas alternativas eleitorais para todos os outros.

Que em 2016 seja o ano dessa constatação, para que nos próximos processos eleitorais surjam muito mais opções transformadoras de verdade. Feliz ciclo novo!

EDVAN É O CARA! 

"Que o homem seja nobre, prestativo e bom, pois só isso o distingue de todos os outros seres". 

O amigo dos amigos e filho querido de Pedreiras, Edvan Matos, ao tomar conhecimento da falta de energia elétrica para fazer funcionar os ar-condicionados do Santuário de São Benedito - Igreja Matriz, não mediu esforços até conseguir realizar o sonho desta comunidade e hoje 04/02/2015, está acompanhando a equipe da CEMAR a fazer a ligação da tão sonhada energia elétrica para o nosso maior cartão postal da Princesa do Mearim. Fotos abaixo:


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...