sábado, 17 de novembro de 2012

DUPLA PEDREIRENSE: Herbeth Somiando e Salve Jorge (veja o vídeo)


NÃO AGUENTO QUANDO... por Margarida Teles

Hoje descobri uma comunidade muito legal no Facebook. É a “Não aguento quando”. Ela fala sobre todas as pressões que nós, mulheres, sofremos. E também sobre as besteiras que ouvimos por aí. A descrição da comunidade/ projeto diz:

Casar até os 30, ter dois filhos até os 40, fazer carreira, viajar o mundo, caber numa calça 38, ter uma pele saudável e jovem, ser independente, ser rainha do sexo, manter uma boa reputação e, o principal, não perder tempo. Quantas vezes você se sentiu obrigada a seguir esses padrões? Essa busca por se tornar um clichê ambulante consome cada segundo da sua existência. Se você não aguenta mais, liberte uma verdade e junte-se a nós.”

Abaixo escolhi algumas ilustrações bacanas, veja!

  
  
  

Inspirada pelo “Não aguento quando”, decidi fazer a minha listinha de coisas que não aguento:

- quando me perguntam “sabia que seu namorado é mais baixo que você?”
- quando falam“quando vão casar?”
- quando acham que ser magra é ser anoréxica
- quando escuto “você trabalha muito” com tom de crítica
- quando pensam que a felicidade é uma obrigação, e a melancolia uma fraqueza.

E você, o que não aguenta mais?

Modelo ‘PELUDA’ em cartaz de campanha contra uso de peles causa polêmica

Uma campanha da organização Pessoas Pelo Tratamento Ético dos Animais (Peta, na sigla em inglês) causou polêmica na Grã-Bretanha ao mostrar uma modelo "peluda".

Na nova propaganda a modelo Joanna Krupa é mostrada usando apenas uma calcinha e exibindo o que seria um excesso de pelos.

O objetivo é associar o excesso de pelos ao uso de peles e ridicularizar os dois.

A ONG Peta, conhecida por suas ações no mundo da moda, alega que o uso de peles implica em crueldade contra os animais e defende que as pessoas usem tecidos alternativos.

Mas, para Harriet Walker, especialista em moda de um dos principais jornais britânicos, o The Independent, o cartaz faz uma crítica à algumas mulheres, comparando "a virilha não depilada de uma modelo a usar peles".

"Claramente, esta imagem é um pouco de mau gosto - isto é o que a Peta faz e, algumas vezes, é eficaz", escreveu Harriet em um artigo no Independent.

"Mas isto vem antes de você analisar o quanto é ofensivo e grotesco para mulheres sugerir que sua camada térmica natural é a)sexualmente desmotivante e b)o equivalente a usar partes de um animal morto."

A própria modelo deu entrevista à Peta comentando a campanha.

"Eu queria fazer esta campanha e continuar falando às pessoas sobre como (o uso de) peles é ruim. Parem! Pele não é sexy. Não é Legal. Você está andando pela rua usando peles - você realmente parece um idiota", afirmou Krupa à organização.

O Maranhense ZÉ AMÉRICO ganha Grammy Latino por CD Iluminado Domiguinhos

ZÉ AMÉRICO postou no Facebook

O ILUMINADO DOMINGUINHOS - Seu Domingos, GANHAMOS!!!! É, ganhamos o Grammy!
Quando criei este projeto, sabia que estava fazendo algo importante, até falei brincando: vamos ganhar o Grammy; e não é que ganhamos mesmo?
Um beijo para cada músico, técnico, e a todos que ajudaram a realizar O ILUMINADO.

Iracema Bastos - Deu nome ao projeto,
Obrigado Caixa Economica - Patrocinador,
Obrigado ao pessoal da Biscoito Fino - Distribuidor
Obrigado, meu Deus!

O maestro, músico e arranjador maranhense José Américo Bastos foi um dos vencedores do Grammy Latino 2012, que aconteceu na última quinta-feira (15), em Las Vegas, nos Estados Unidos. Zé Américo recebeu o fonógrafo dourado pelo CD Iluminado Dominguinhos, na categoria Raízes Brasileira. O Grammy Latino é a maior premiação que prestigia a indústria da música. 

No início do ano este mesmo trabalho já havia sido indicado em quatro categorias no 23º Prêmio da Música Brasileira, edição 2012, nas categorias Melhor Álbum Instrumental, Melhor Produtor, Melhor Instrumentista e Melhor Arranjador da qual foi vencedor. 

O maranhense, que há décadas está radicado no Rio de Janeiro, revelou em entrevista a O Imparcial que está muito feliz com a premiação e que a mesma é especial por conta de sua singularidade. "É muito gostoso ver o seu trabalho reconhecido sempre. Eu já havia sido indicado ao Grammy Latino outras vezes com trabalhos que eu mesmo produzi com outros artistas e também por encomendas de gravadoras. Mas esta premiação é especial por que Iluminado Dominguinhos é um projeto que eu mesmo criei e realizei. É como um filho querido que você acompanha todas as fases. Eu só tenho a dizer que estou muito feliz", contou Zé Américo. 

No Bar do Louro na Avenida Litorânea
Marcelo Carvalho, Manuel Baião, Carlinhos Veloz, Paul Getty, Zé Lopes e Zé Américo 

Em Iluminado Dominguinhos, Zé Américo presta uma homenagem à obra musical de Dominguinhos e conta com a participação especial dos melhores da música instrumental brasileira como Arthur Maia, Gilson Peranzzetta, Yamandu Costa, Wagner Tiso, além de Gilberto Gil, Waldonys e Elba Ramalho. O disco, que tem doze faixas, resgata clássicos como: Princesinha no choro, lamento sertanejo, Homenagem a Jackson do Pandeiro, Ô xente, noites sergipanas, Fuga para o nordeste, te cuida jacaré, Ilusão nada mais, Tenho sede, Eu só quero um xodó e De volta pro aconchego e o Medley 11 de abril, Isso aqui tá muito bom e pedras que cantam. O projeto foi lançado no formato CD/DVD e mostra um Dominguinhos virtuoso e criador de melodias que, de tão raras e genuínas, já viraram de domínio público. 

Dominguinhos foi descoberto por Luiz Gonzaga, na década de 1950, seguiu os passos do mestre e, sem copiá-lo, já tinha seu próprio estilo incorporado. "A obra de Dominguinhos é de extrema relevância. Ele é um grande músico e uma grande pessoa", ressaltou o produtor musical, José Américo.

Av Litorânea Bar do Louro em São Luís
Marcelo Carvalho, Manuel Baião, Zé Lopes, Zé Américo e Paul Getty

Zé Américo é considerado um dos maiores produtores musicais do país e já trabalho com grandes nomes da Música popular Brasileira como Elba Ramalho, Alcione, Paulinho da Viola, Gilberto Gil, Chico Buarque, Alceu Valença, Raimundo Fagner, Simone, Maria Bethânia, Zizi Possi, Fafá De Belém, Sandra De Sá, Gabriel O Pensador, Zeca Pagodinho, Gal Costa, Lulú Santos, Ivan Lins, Nana Caymmi, Moraes Moreira, Zé Ramalho, Geraldo Azevedo, Amelinha, Ednardo, Olívia Hime, Zeca Baleiro, Rita Ribeiro tantos outros que já contaram com a participação do maestro em seus discos. Zé Américo é produtor de vários Discos de Ouro e Platina pelas gravadoras Universal, BMG e Sony Music. Zé Américo tem no currículo tem ainda Prêmios SHARP e MPB.

TRÊS PERGUNTAS PARA ZÉ AMÉRICO

Como você avalia este momento da música instrumental brasileira com a premiação de um Grammy Latino? 
A música instrumental é a origem de tudo. É a música que está na vida do homem desde que o mundo é mundo e ganhou um sentido mais popular quando a mesma ganhou letra. Na Europa e em outras partes do mundo, a música instrumental sempre teve seu espaço, finalmente o Brasil está descobrindo a sua importância.

Você está radicado há muitos anos no Rio de Janeiro. Como está a sua relação com a música maranhense? 
Moro no Rio de Janeiro há 37 anos e tenho uma ligação muito forte com a música maranhense. Um exemplo disso é o meu trabalho de arranjador musical que desenvolvo com Alcione desde 1986. Também tenho uma relação muito próxima com a Rita Ribeiro (Benneditto) , Sérgio Sá e Zeca Baleiro. O Maranhão é um celeiro poderoso de artistas. Sabemos que muito difícil produzir um trabalho musical em São Luís e fazê-lo estourar no restante do país. A distância geográfica é complicador para essa visibilidade. Mas acho que os caminhos estão se abrindo. 

Quando você retorna a São Luís? 
Eu vou coordenar e produzir o CD/DVD do Festival Viva e estarei chegando à cidade no dia 26 e devo ficar até o próximo dia 30 de dezembro. Vou mixar, masterizar e finalizar este trabalho que é de grande importância para a divulgação da música maranhense fora do estado. Apesar de todas as dificuldades que os artistas enfrentam, eu percebo que o mercado local tem absorvido o que vêm sendo produzido.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Campanha no Facebook defende o nome de ZECA BALEIRO para FUNC - Fundação Cultural de São Luís

O cantor e compositor maranhense, Zeca Baleiro, disse através do seu porta-voz, o jornalista Sérgio Castelani, que não iria se pronunciar sobre campanha que tomou conta das redes sociais em São Luís indicando o seu nome para assumir a presidência da Fundação Cultural de São Luís – FUNC na nova gestão de Edivaldo Holanda Júnior.

O porta-voz explicou que não há nenhum convite oficial e tão pouco qualquer movimento por parte do artista para assumir o cargo, e por isso mesmo a opção pelo silêncio.

Baleiro e Castelani estavam no aeroporto de São Paulo de onde embarcou no final da manhã desta sexta-feira para Curitiba. Os dois foram pegos de surpresa com a notícia da campanha.

- Utilizo o facebook para divulgar meus shows e colher opiniões sobre o meu trabalho – explicou Baleiro, através do porta-voz.

A opção pelo silêncio não deixa de revelar que caso seja convidado ele poderá aceitar, já que do contrário, agradeceria de ante-mão a lembrança do seu nome e diria que possui outros projetos para sua carreira.

Nesta, o porta-voz foi lacônico:

- Isso não sou eu que estou dizendo, mas você…

JOVEM se esconde durante assalto e pede ajuda pelo FACEBOOK

Cinco homens armados invadiram uma residência de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, e prenderam a família em um dos banheiros, por volta das 21h de quinta-feira (15). 

Segundo a Polícia Militar (PM), uma das moradoras estava no quarto e não foi vista pelos ladrões, que estavam armados e encapuzados.

A moça se trancou no local e pediu ajuda pelo Facebook para que amigos avisassem a polícia. Quando a equipe chegou, os ladrões já tinham fugido com dois notebooks, celulares e documentos pessoais dos moradores. Até as 7h10 desta sexta-feira (16), nenhum dos ladrões tinha sido preso.

LULA lamenta pena de 10 anos para ZÉ DIRCEU: " Não consigo fazer o número com as mãos" (Humor)


O STF acabou sendo jocoso com o ex-presidente Lula. Ao condenar José Dirceu a 10 anos de prisão, a suprema corte do país impediu que Lula fizesse a pena com as duas mãos. O ex-presidente lamentou a decisão.

Nossa hora eu lamento o fato de a Justiça não ter mais um dedinho do governo. Mas tudo bem, eu vou até a cadeia visitar o meu amigo. A gente bate um dedo de prosa.”, disse Lula. O ex-presidente negou estar dando palpite sobre a Justiça. “Não posso meter o dedo onde não fui chamado. Isso já me custou caro demais.”, disse Lula.

Na cadeia, presos da oposição já esperam ansiosos. “Vou mostrar o meu mensalão para ele”, disse um preso tucano.

TODA MINORIA tem um dia só seu...

Um vídeo que anda circulando na rede social facebook, mostra 40 segundos de um entrevista realizada com o ator Morgan Freeman para uma emissora de TV dos Estados Unidos (veja aqui). Na entrevista, o ator é questionado sobre racismo e preconceito:


Mike Wallace: O que acha sobre o mês da consciência negra?
Morgan Freeman: ridículo
MW: Por quê?
MF: minha história inteira confinada em um mês?
MW: O que você faria com a sua história?
MF: Qual é o mês da consciência branca?
MW: Como vamos nos livrar do racismo?
MF: Parando de falar sobre isso!

A resposta do ator só confirma que o preconceito de verdade está em reservar uma data especial a um povo com uma imensa história que merece divulgada. Não só mostra isso, mas também prova que toda minoria possui um dia só seu: dia da mulher, dia do índio, dia da consciência negra e o mais recente dia mundial do orgulho gay.

Quanto mais oprimido um seguimento, mais ações específicas serão feitas a ele com a noção de inclusão. Só que isso não é inclusão, como disse Freeman, é confinamento. São 40 segundos da verdade mais profunda que muitos preferem não enxergar. É preciso expandir horizontes e percebemos que já que todos participam de um mesmo Estado, todos têm sua importância na construção da velha e nova história daquele lugar.

Criar um dia não irá fazer com que aquele que esteja fora das minorias se interesse, compreenda e, o mais importante, aceite de fato a convivência. Criar um dia, parece homenagem, mas é como se lembrasse a cada minoria o seu lugar e que, de lá, ela não deve sair.

Por Aline Alencar

SILAS MALAFAIA critica procurador que quer tirar “Deus seja louvado” do real

O pastor comenta que o procurador é o mesmo que encontrou com processo contra ele na polêmica sobre a Parada Gay de 2011

"Deus Seja Louvado; Frase que estampa o Real, 
Procurador Jefferson Aparecido Dias, quer tirar
"Deus" do Real. 
Através de um vídeo postado no site Verdade Gospel o pastor SILAS MALAFAIA comenta o pedido da Procuradoria dos Direitos dos Cidadãos de São Paulo que pede a retirada da frase “Deus seja louvado” das notas de real.


“Eu acho que este senhor é cristofóbico”, diz Malafaia que conta que o procurador que entrou com este pedido, Jefferson Aparecido Dias, é o mesmo que o processou por homofobia sobre a polêmica do vídeo da Parada Gay de 2011.

Além de relembrar o caso, o pastor da Assembleia de Deus Vitória em Cristo mostra que os símbolos religiosos fazem parte da cultura brasileira formada com fortes influências da Igreja Católica.

Com ironia, Malafaia pede para que o procurador entre na justiça para mudar o nome dos estados de Santa Catarina, São Paulo e Espírito Santo. Também que Jefferson Aparecido Dias entre com processo para cancelar os feriados religiosos do país.

“Eu entendo que existem questões religiosas que estão entranhadas na cultura de um povo e que você não pode eliminar, porque se não você vai eliminar cultura”.

Eu nunca vi tanta besteira, tanta bobagem de gente que não tem o que fazer. Eu só estou mostrando que isso é coisa de intolerante e eu estou desconfiado de que este cara é ‘cristofóbico’”, disse.

Veja o vídeo do Pastor Malafaia



APONTAMENTOS SOBRE A MORTE - por Zeca Baleiro

1. Aos 26 anos, tive um forte flerte com a morte. Desejava, na mesma medida em que temia, morrer antes dos 30, ao modo dos poetas românticos e desregrados ou dos rock stars que eu tanto admirava no início da vida adulta. Bem, está claro que não consegui meu intento, como podem atestar sem muito esforço meus leitores, amigos, inimigos e desafetos. Havia outra razão que estimulava meu mórbido projeto: a perda trágica de uma pessoa ainda jovem e muito querida, fato que me deixou catatônico por alguns meses.

Embora não tenha hoje um medo exasperado da morte (a não ser quando entro em aviões, coisa que faço quase com a mesma frequência de um comissário de bordo), tampouco alimento a atração funérea e secreta dos 26 anos (e enquanto escrevo isto, impossível não lembrar de “A Lira dos Vinte Anos”, do poeta Álvares de Azevedo, morto antes mesmo de completar 21 anos). 

Falo do assunto com naturalidade, mesmo sabendo o quanto isso choca a maior parte das pessoas, que prefere esquecer o desfecho do livro e se concentrar na narrativa de intrigas, romances, medo, torpeza e dor.

O fato é que sobrevivi à fantasia romântica de morrer jovem. Morrer é misterioso, escuro, imponderável. E como não creio no mito cristão da vida eterna, não sinto o mesmo conforto de um crente, de alguém que acha (ou sabe, pois os crentes têm certezas que um descrente não tem) que adentrará o paraíso com pompa e festa e banda de anjos com clarins. Gosto de viver e pretendo lutar, se preciso até a morte (ops!), para prorrogar minha vida até a velhice, com força, vigor e saúde suficientes para dar bengaladas no primeiro hipócrita politicamente correto que a mim se referir como um ser da “terceira idade” ou, pior, “melhor idade”.

2. 
Se meus ídolos de juventude morriam com 20 e poucos anos, gerando grande consternação popular, o que dizer dos adolescentes que hoje se matam aos 15, 17, 19 anos? Sintoma de um tempo doente e pleno de solidão, apesar da ilusão de “compartilhamento” que a internet traz.

Amanda Todd, jovem canadense de 15 anos, enforcou-se após ser vítima de um cyberbullying, ou seja, um bullying virtual, levado a cabo através da internet. A razão é a mais insólita possível. Depois de despir os seios a um voyeur em sua webcam num chat de bate-papos, teve as imagens espalhadas pela rede, foi espancada na escola e linchada moralmente por mensagens no Facebook. Várias tentativas frustradas de suicídio depois, deu um fim à vida enforcando-se no último 10 de outubro, na casa em que morava com a mãe. Antes de morrer, a menina Amanda postou vários vídeos no YouTube, com mensagens que eram silenciosos pedidos de socorro. Digo silenciosos porque os vídeos de Amanda não tinham texto, apenas mostravam cartazes escritos à mão, como no antológico clipe de “Subterranean Homesick Blues”, de Bob Dylan, em que o mito pop desfraldava versos da canção dispostos em vários pequenos pôsteres, que se sucediam em simultâneo com a música.

O drama da adolescente canadense não é um caso isolado. A “moda” dos cartazes é hoje um pequeno fenômeno de internet. São confissões, autoimolações verbais e relatos dolorosos dos medos e traumas da idade, que carregam títulos como “Confession Cards” ou “My Story”, e que existem às centenas hoje na rede. São filmes amadores com canções pop sentimentais como trilha e textos reveladores – há desde meninas que contam como foram molestadas na infância até garotos que se descobrem homossexuais e não sabem como lidar com a questão sozinhos.

Parece que estou vivendo um pesadelo, mas não consigo acordar” – postou Olivia Penpraze, australiana de 19 anos que se suicidou em abril deste ano, depois de anos de perseguição dos colegas, que lhe causaram anorexia, depressão e psicose. Campanhas antibullying começam a ganhar força nas redes sociais, as mesmas redes onde se vê, com requintes de crueldade, o cyberbullying ganhando força, levando jovens instáveis e solitários ao pânico e à solidão da morte – sim, pois como dizia Nelson Rodrigues, “não há maior solidão que a de um morto”.

Pior de tudo é imaginar um outro adolescente usuário da net, postando, ao fim de matéria sobre a morte de Amanda ou Olivia: “Curti!”.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

JUSTIÇA bloqueia conta de cinco municípios em uma semana

Decisões foram motivadas por atrasos nos pagamentos dos servidores. Maioria dos recursos bloqueados é referente ao FPM e Fundeb.


Em apenas sete dias, cinco municípios maranhenses foram penalizados por medidas judiciais com o bloqueio total ou parcial de suas contas. As decisões, de acordo com os magistrados, são para garantir o pagamento de vários servidores que estariam em atraso, a última delas em Vitorino Freire, cidade localizada a 309 quilômetros da capital.

No último dia 7, o juiz da 4ª Vara Cível de Timon, Simeão Pereira e Silva, determinou o bloqueio de 70% de todos os saldos das contas do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) do município, para garantir o pagamento dos vencimentos atrasados dos servidores públicos municipais, incluindo os débitos remanescentes do ano de 2011.

A ação judicial impetrada pelo Ministério Público foi motivada pelo débito que a prefeitura tem com os servidores da Saúde e da Educação, que corresponde a R$ 5,6 milhões, incluindo salários não pagos referentes aos meses de junho e julho de 2011 e 2012, além do 13º de 2011.

Dois dias depois, 60% dos recursos do FPM de Estreito também foram bloqueados pelos mesmos motivos. O juiz Gilmar de Jesus Everton Vale (1 ª Vara da Comarca de Estreito) também determinou que a instituição financeira onde as contas do municípios estão depositadas, proibiu que o prefeito local realizasse saques em espécie das contas da prefeitura e que as movimentação das contas do Município fosse realizadas somente por meio de cheques ou transferências bancárias, sempre preservando os valores para o pagamento dos servidores conforme determinado judicialmente.

No mesmo dia as contas de Santa Luzia e Alto Alegre do Pindaré também foram bloqueadas. Nos dois municípios os vencimentos dos servidores estariam dois meses atrasados, de acordo com as representações do Ministério Público.

No último caso, divulgado nesta quarta-feira (14), os recursos do FPM e Fundeb de Vitorino Freire foram bloqueados totalmente. Segundo a medida liminar, eles serão utilizados para colocar em dia o pagamento dos servidores municipais, que estariam atrasados a quatros, de acordo com a denúncia do Ministério Público.

A MORTE como ela é...

Não é tão simples quanto parece: quando morremos, milhares de partes do nosso corpo estão na ativa tentando reverter o processo. E muita coisa ainda acontece depois que damos o último suspiro.

Quando Steven Thorpe chegou ao Hospital Universitário de Coventry, no Reino Unido, a equipe médica disse à família que não havia mais nada a fazer. O adolescente de 17 anos havia sofrido ferimentos gravíssimos na cabeça em um acidente de carro e os danos no seu cérebro eram irreversíveis. O diagnóstico era morte encefálica. Mas a família não perdeu as esperanças. O procedimento que comprova a ausência total de atividade cerebral foi realizado mais 3 vezes, até que o quinto exame revelou ondas cerebrais fraquíssimas - o que significava uma chance de sobrevivência. Duas semanas depois, Steven acordou do coma e começou a se recuperar. O caso, que chamou a atenção da medicina em 2008, mostra que o limite entre a vida e a morte é mesmo tênue.

Se um procedimento errado quase acabou com a vida de um jovem em pleno século 21, dá para imaginar por que a morte ainda assusta os médicos (para nem falar de nós, reles mortais). Duzentos anos atrás, quando não existiam aparelhos que identificassem os sinais vitais, os diagnósticos errados para o fim da vida eram frequentes. Em 1846, a Academia de Ciências de Paris aceitou que a morte significa a ausência de respiração, de circulação e de batimentos cardíacos. Mas mais de um século depois, outro francês, Paul Brouardel, concluiu que o coração não sustenta a vida sozinho. Uma pessoa decapitada pode ter batimentos cardíacos por uma hora, o que não quer dizer que ela esteja viva.

Quando surgiram os respiradores artificiais nos anos 1950, os critérios para definir o fim da vida ficaram ainda mais confusos. Ficou decidido que ele acontece quando as células do cérebro param totalmente de funcionar e desligam o encéfalo, a parte do sistema nervoso central que controla funções automáticas, como a respiração e a circulação. Geralmente, isso acontece depois de acidentes ou AVCs. A morte cerebral permite a doação de órgãos - já que o resto do corpo continua intacto e imune à dor. (Embora existam relatos de reações parecidas com às da dor na hora da retirada dos órgãos, como batimentos cardíacos acelerados e pressão alta.) Na teoria, o cérebro é a placa mãe de um computador. Quando ela queima, a máquina não funciona mais, mesmo que todas as outras peças ainda estejam em bom estado. A explicação parece simples, né? Mas daí a identificar com precisão quando isso acontece é outra história.

O fim. (ou não)
De certa forma, a primeira definição de morte, a da ausência de circulação e respiração, não está totalmente errada. Estima-se que em 99% dos casos são as falhas no coração e no pulmão que encerram de vez a vida (só 1% dos casos tem origem na morte cerebral). Pense de novo na analogia do computador. O sistema coração-pulmão é a bateria da máquina, que garante o funcionamento das outras peças. Quando essa bateria descarrega, você pode continuar usando o computador ligado à tomada. É o que acontece com grávidas que não têm mais sinais cerebrais, mas que são mantidas "vivas" por aparelhos até dar à luz. De acordo com o americano Dick Teresi, autor do livro The Undeath (Os Não-Vivos), desde 1981, 22 mulheres tiveram bebês estando clinicamente mortas. Seus corpos estavam vivos - mas o cérebro já não os controlava mais.

Por isso, para compreender a morte, é preciso entender como trabalha a nossa "bateria". O coração funciona com estímulos elétricos que provocam a contração (que joga o sangue para frente) e o relaxamento (que o enche novamente). É muito importante que esses movimentos sejam sincronizados. Se o coração bater rápido demais, não dá tempo de enchê-lo totalmente e a quantidade de sangue bombeada para o corpo diminui. Bater devagar demais também não é bom sinal, pelo mesmo motivo: vai faltar sangue para manter as condições vitais. Isso é especialmente perigoso para os pulmões. Sem sangue por lá, eles não levam mais oxigênio para as células. Sem oxigênio não há metabolismo e, bem, sem metabolismo as células morrem. Para um médico, a ausência de batimentos cardíacos é uma corrida contra o tempo. "Depois de 8 minutos, a chance é extremamente pequena", diz o cardiologista Diego Chemello, do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Mas a prática é continuar tentando. Em 2012, o jogador de futebol congolês Fabrice Muamba ficou 78 minutos com o coração parado, e até hoje ninguém sabe direito como. O mais provável é que a atividade elétrica do coração dele nunca tenha zerado totalmente e o oxigênio que ele recebeu por aparelhos tenha garantido sua sobrevivência.

Além das batidas irregulares, a parada cardíaca pode ser causada por um infarto, responsável por 70% das mortes súbitas no Brasil. O sangue que chega ao coração pela artéria coronariana vem cheio de glicose, ácidos graxos e sais minerais que controlam a atividade elétrica do músculo. Se essa artéria é obstruída por gordura (o famigerado colesterol), o suprimento de nutrientes é interrompido e acontece uma pane elétrica. De fato, o infarto é um problema elétrico. Por isso que o aparelho preferido dos paramédicos de séries de TV se chama desfibrilador. O impacto do choque é de 200 joules, o suficiente para acender uma lâmpada de 100 watts por dois segundos - e para botar nosso coração no ritmo.

Se o coração parar de bater, a circulação é interrompida na mesma hora. Nos 3 primeiros minutos, a recuperação é quase certa porque o organismo tem reserva de oxigênio e nutrientes (sim, toda a nossa vida só deixa 3 minutos de economias). Mas isso logo acaba e as células param de funcionar. As do cérebro puxam a fila. É nos neurônios que são feitas as reações químicas e elétricas mais complexas do corpo, que mais precisam de oxigênio. Para se ter uma ideia, o tecido cerebral recebe 10 vezes mais sangue que o muscular, que realiza uma função mecânica e bem menos complicada - o movimento. "Depois de 5 minutos, pode haver danos permanentes", diz o cardiologista Guilherme Fenelon. A consequência pode ser perda da fala ou dos movimentos, por exemplo. Mas também pode ser bem mais esquisita: em 2011, a escocesa Debbie McCann acordou de um derrame com um problema que fez sua fala ficar parecida com sotaque italiano. E teve também o caso do jogador de rúgbi que saiu do armário depois de um AVC.

No fim das contas, seu corpo não foi feito para viver para sempre. No fim, o coração vai parar de bater, a respiração vai cessar e, como uma lâmpada, o cérebro vai se apagar. A vida acaba aí. Mas a morte, não. Ela está apenas começando.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

MULHERES solteiras saem à procura do cara que o Roberto Carlos anda cantando

Música de Roberto Carlos leva esperança para as mulheres mas faltam provas da existência do cara


Até o momento não apareceu evidências sobre a existência do “cara” que o Rei Roberto Carlos anda cantando. Mesmo assim, as mulheres brasileiras não desistem de procurá-lo. 

A especialista e feminista Caroline Cerato Camelo, 33 anos, disse que o cara que o Roberto Carlos tanto canta não existe, nunca existiu, tão pouco existirá um dia. "As mulheres devem se conformar que esse cara só existe na música de Roberto Carlos", disse Caroline. 

Ainda segundo Caroline, 100,1% das mulheres que esperaram por um príncipe encantado, montado em um cavalo branco, viraram titias e, 99%, continuaram donzelas. 

Caroline recomenda que as mulheres parem de procurar o cara que o Roberto Carlos anda cantando. "Seria melhor que as mulheres se unissem para pedir que o Roberto Carlos altere a letra da musica trocando "esse cara sou" por "esse cara não existe", disse.

PREFEITURAS fecham as portas

Desconfiem de um movimento nacional de prefeitos, que começou por Pernambuco e se estende pelo Ceará, para que as portas da prefeituras sejam fechadas desde já, por causa das quedas nos repasses aos municípios pelo Governo Federal. Só em Pernambuco, 100 das 185 prefeituras estarão de portas fechadas, a partir de segunda-feira (19).

Prefeitos pedem R$ 2,4 bi
ao Governo Federal.
Os prefeitos querem sensibilizar a presidente Dilma Rousseff (PT), para que ela devolva o que eles consideram que foi retirado, argumentando situação de penúria.

Esses prefeitos que defendem o fechamento das prefeituras estão com os salários em atraso de seus servidores, além de não pagarem os prestadores de serviços e executores de obras. Agora, verifiquem o patrimônio de cada um deles.

Aqui no Maranhão, como de resto em todo o país, existem aqueles que pagam em dia, os que deixarão o cargo sem dívidas e até os que se preparam para pagar o 14º salário do magistério.

Mas existem também uns que estão deixando o município no buraco. Boa parte está sendo investigada por órgãos de controle e muitos já foram condenados [aguardem a lista, por esses dias].

Aqui mesmo na capital, o prefeito João Castelo (PSDB) vai deixar dívidas que, talvez, nem ele próprio tenha dimensão da montanha, sem contar que todas as obras estão paralisadas, com trabalhadores e donos de construtoras sem receber.

Os repasses, é verdade, caíram, mas no período eleitoral quase nenhum se preparou e, ao contrário de se adequarem, encheram a folha de pagamento, pensando em ganhar a reeleição ou a eleição de seus candidatos. Uma lástima.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

SEMÁFOROS INTELIGENTES...

Por Bruno Duailibe

Na sexta-feira que antecedeu o segundo turno das eleições municipais, preferi assistir, pela internet, ao debate dos candidatos de Salvador, mediado pelo repórter Alexandre Garcia. E não me arrependi: a forma como as propostas foram expostas pelos adversários denotava com clareza ofuscante que ali a disputa dar-se-ia menos por picuinhas e muito mais por ideias capazes de melhorar a cidade.

Dentre aquelas que foram citadas pelos candidatos, chamou a minha atenção, imediatamente, a proposta de implantação dos semáforos inteligentes, mencionada pelo prefeito eleito ACM Neto, como uma das ações emergenciais para os problemas do trânsito da capital baiana. 

Resumidamente, o então candidato explicou que esses semáforos seriam interligados por uma central de controle e ajustados em tempo real por um engenheiro de trânsito, de acordo com o tráfego da via. Segundo afirmou nessa oportunidade e em outras entrevistas concedidas, isso daria um ganho de 30% (trinta por cento) na velocidade média de deslocamento dos veículos.
Estudando o assunto, pude ver que os semáforos inteligentes dependem da utilização de tecnologia da informação e de sensores que tornam possível calcular o tempo em que o sinal permanecerá aberto. Desse modo, conforme o fluxo seja maior ou menor em dado horário, tanto a espera nos cruzamentos como as longas filas de carros podem ser reduzidas.

Senti-me conquistado pela lógica dessa tecnologia. De fato, é totalmente desnecessário interromper o trânsito de uma avenida principal, se a rua secundária que a corta na perpendicular não tem qualquer veículo.

Desde então, não consegui me desvencilhar do pensamento fixo de que essa tecnologia poderia ser perfeitamente implantada em São Luís, porquanto ela já faz parte da realidade de cidades latino-americanas como Santiago, Panamá, San José, tendo no Brasil exemplos como os de Fortaleza, Campinas, São José dos Campos e São Paulo.

Os semáforos inteligentes, assim como outras ações que buscam as tecnologias de informação e o geoprocessamento, vão de encontro às respostas que são normalmente priorizadas nesse tipo de problema: as grandes obras na infraestrutura.

Não quero dizer com isso que a construção de pontes, avenidas, viadutos e de faixas exclusivas para ônibus, por exemplo, deva ser relegada; apenas não pode ser tida como única solução. Na verdade, julgo que essa questão deva ser equacionada com ações que demandem menos tempo e recursos – estes últimos sempre escassos, especialmente nas municipalidades.

E claro: soluções mais simples e sustentáveis devem estar na dianteira das atuais gestões públicas, não apenas porque essa dinâmica dá um tom de arrojo, mas principalmente porque os problemas que afligem o cotidiano das cidades merecem soluções eficientes, eficazes e imediatas.

De mais a mais, a crise da mobilidade urbana assim como a maioria dos problemas sociais não tem uma só causa e tampouco uma única solução. Como suas origens são múltiplas e complexas, exigem, por certo, ações coordenadas e complementares que envolvem, por exemplo, o plano diretor da cidade, o transporte público e a educação no trânsito.

É inegável que em São Luís, de uns anos para cá, já não há alguém que não tenha perdido a paciência diante do trânsito a ser enfrentado. A propósito, sei de muita gente que, para não perder um compromisso assumido, inicia o seu deslocamento com horas de antecedência e também sei de outras inúmeras pessoas que permanecem mais tempo no trabalho, comprometendo a sua qualidade de vida, apenas para evitar o trânsito na hora de retornar a suas casas.

É por isso que nos tempos atuais todos devem concordar que medidas que visem a proporcionar maior fluidez no tráfego não são somente necessárias, como também são urgentes.

E então eu aproveitei para passar uma vista no programa de governo do nosso prefeito eleito, Edivaldo Holanda Júnior, e não encontrei medidas concretas que priorizassem as questões de melhor organização e fluidez do tráfego nas ruas e avenidas ludovicenses.

Há medidas que, aparentemente, focam os transportes públicos e que implicam um ajuste de médio e longo prazo. Em curto prazo, nenhuma.

Assim, eu nem pestanejo ao afirmar que os semáforos inteligentes poderiam ser implementados nas mesmas condições em que serão instalados em Salvador: como medida emergencial de organização do trânsito.

Desta forma, despenderemos menos tempo em engarrafamentos e mais tempo em qualquer outra coisa útil.

Como se tornou usual dizer nas redes sociais: fica a dica, Prefeito eleito!

*Advogado. Graduado pela Universidade Federal do Maranhão. Pós-Graduado em Direito Processual Civil no ICAT-UNIDF

Promotoria de POÇÃO DE PEDRAS poderia ser copiada

Uma excelente medida que poderia ser copiada.


O que é bom se copia. Se assim realmente for, o Blog entende que a decisão da Promotoria de Justiça de Poção de Pedras precisa urgentemente ser copiada na maioria dos municípios onde o atual gestor foi derrotado, diretamente ou indiretamente, nas urnas nas eleições 2012.

Gildásio - prefeito de Poção de Pedras
A Promotoria de Poção de Pedras, acertadamente, expediu Recomendação ao prefeito do município Gildásio Ângelo da Silva (PSD), com o objetivo de assegurar a formação de uma comissão mista de transição. O grupo será responsável pelo fornecimento dos dados financeiros e administrativos da Prefeitura de Poção de Pedras aos gestores eleitos.

No município, o atual prefeito Gildásio Silva perdeu as eleições para o candidato do PRB, Júnior Cascaria e o MP/MA tomou conhecimento que não foi permitido o acesso à equipe do prefeito eleito aos documentos que contém dados sobre a situação administrativa e financeira da Prefeitura de Poção de Pedras e por esse motivo a decisão foi tomada pela promotora Elisete Pereira dos Santos.

A comissão deverá ser criada por Decreto Municipal e um procurador do município deve presidir a comissão que deverá ser formada por servidores efetivos e por pessoas indicadas pelo gestor eleito.

Também foi recomendado que a comissão tenha acesso a todas as contas públicas, programas e projetos da administração municipal. A equipe deve observar com rigor o art. 42 da Lei de Responsabilidade Fiscal, que veda a contratação de despesas nos últimos quadrimestres do mandato, que não possa ser cumprida integralmente dentro desse período.

RECLAMAR É FÁCIL

Um comentário feito em um dos posts deste blog, fez surgir esta outra postagem. O comentário “haters gonna hate!”, ou “odiadores odiarão” é uma expressão muito usada hoje em dia para referir-se àquelas pessoas que com certeza não gostarão de nada que você fizer, disser e etc, mas que você simplesmente não liga, já que virou comum destas pessoas apenas reclamarem. 

Pode-se dizer que a expressão é uma das que mais representa não só alguns leitores da blogosfera, mas também é uma posição recorrente em parte da população brasileira.

Verdade seja dita: nunca estamos satisfeitos. Porém, alguns parecem existir apenas para reclamar e odiar não importa quem, o que ou o porquê. Se se elogia, você é babão, se critica é perseguição. Saber separar as coisas, pelo visto, é algo meio difícil para alguns. Não se sabe se por falta de senso crítico ou porque simplesmente é mais fácil ser o chamado oito ou oitenta.

Talvez isto ocorra, porque existe uma falácia de que o bem e o mal andam separados e não unidos dentro de cada um de nós, comum em todo ser dito humano. Isto é, ninguém está longe de sofrer uma crítica por um ato grotesco, muito menos de ser aplaudido por um ato louvável, isto se você souber reconhecer cada ato como tal.

Mas, possivelmente, odiadores odiarão este texto. Paciência.

Aline Alencar

EM SÃO LUÍS - Dez dos 15 vereadores reeleitos ficaram mais ricos em 4 anos

EMPREGO BOM

Patrimônio dos edis que conquistaram um novo mandato na Câmara Municipal aumentou de R$ 80 mil a R$ 816.500; dois vereadores reeleitos disseram à Justiça Eleitoral não ter nenhum bem a declarar tanto em 2008 como em 2012.

POR OSWALDO VIVIANI

Dez dos 15 vereadores reeleitos, no último dia 7, para a Câmara Municipal de São Luís ficaram mais ricos nos quatro anos do primeiro mandato. O patrimônio deles aumentou de R$ 80 mil – caso de Josué Pinheiro (PSDC) – a R$ 816.500 – crescimento patrimonial registrado por Edmilson Jansen (PTC; ex-suplente de Edivaldo Holanda Júnior).

Os vereadores reeleitos Chico Carvalho (PSL) e Barbosa Lages (PDT) disseram à Justiça Eleitoral não ter 'nenhum bem a declarar' tanto em 2008 como em 2012.

Na contramão da maioria dos colegas, três vereadores reeleitos tiveram seus patrimônios diminuídos.

Rose Sales (PC do B) declarou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em 2008, patrimônio de R$ 113.600. Em 2012, registrou R$ 83.600 (diminuição de R$ 30 mil).

Sebastião Albuquerque (DEM) disse ter bens no valor de R$ 1.260.000 em 2008. Na última eleição, declarou R$ 1.195.600 de patrimônio (R$ 64.400 a menos)

Já Marlon Garcia (PT do B); ex-suplente de Lourival Mendes) tinha R$ 75 mil em bens em 2008, e caiu para R$ 58 mil em 2012 (redução patrimonial de R$ 17 mil).

Entre os vereadores reeleitos que ficaram mais ricos em quatro anos de mandato (2009 a 2012), além do já citado Edmilson Jansen, se destacam:

Antonio Isaías Pereira Filho, o 'Pereirinha' (PSL): declarou ao TSE em 2008 bens avaliados em R$ 229 mil, e em 2012, um total de R$ 709.500; aumento de R$ 480.500 (patrimônio mais que triplicou em quatro anos).

José Raimundo Alves Sena, o 'Nato' (PRP): de 'nenhum bem a declarar' em 2008 subiu para R$ 450 mil em 2012; patrimônio aumentou em R$ 450 mil.

Armando Costa (PSDC): de 'nenhum bem a declarar' em 2008 foi a R$ 372 mil em 2012; patrimônio cresceu R$ 372 mil.

Francisco das Chagas Lima e Silva, o 'Chaguinhas' (PRP): de R$ 258 mil em 2008 para R$ 585 mil em 2012; aumento de R$ 327 mil (patrimônio mais que dobrou).

Dr. Gutemberg (PSDB): de R$ 377.500 em 2008 para R$ 636 mil em 2012 (aumento de R$ 258.500).

Generval Martiniano Moreira Leite, o 'Astro de Ogum' (PMN): de R$ 1.330 para R$ 202.400 (aumento de mais de R$ 200 mil); patrimônio cresceu mais de 150 vezes em quatro anos.

José Joaquim (PSDB): de R$ 442.560 para R$ 574.500 (aumento de R$ 131.940).

Ivaldo Rodrigues (PDT): de 'nenhum bem a declarar' em 2008 para R$ 116.100 em 2012 (crescimento patrimonial de R$ 116.100).

Os proventos mensais de cada vereador de São Luís chegam a mais de R$ 50 mil (um dos maiores valores entre as Câmaras do país), considerando-se salários e benefícios, segundo levantamento feito pelo jornalista Gilberto Léda, do jornal O Estado do Maranhão.

Com o aumento de 21 para 31 vereadores, a Câmara de São Luís passará a gastar, no ano que vem, mensalmente, R$ 1,55 milhão só com os pagamentos aos vereadores.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

CELULARES PIRATAS serão bloqueados a partir de 2013

Um sistema em implantação nas centrais de operação das quatro principais empresas de telefonia móvel do país restringirá, a partir do primeiro trimestre de 2013, o uso de celulares piratas.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e o Sinditelebrasil – sindicato que representa as teles – no entanto, não sabe informar quantos aparelhos piratas estão em operação hoje no país. A Telefônica/Vivo, TIM, Claro e Oi pretendem investir mais de R$ 10 milhões para bloquear os equipamentos piratas.

Com a medida, as empresas do setor esperam reduzir o número de reclamações contra o serviço – segundo as operadoras, esses aparelhos são de baixa qualidade e costumam ter mais queda de chamadas, o que contribui com as queixas às centrais de atendimento.

O programa que vai bloquear os piratas funciona por meio do reconhecimento do código de identificação que todo celular possui, o chamado IMEI, captado pela central das companhia quando realiza-se uma chamada. Esse procedimento vai ser feito quando um usuário cadastrar um novo chip, o que é necessário para habilitar a linha e realizar as ligações.

Se um pirata for identificado pelo programa, a operadora avisará a pessoa que a habilitação não vai ser possível e o motivo.

Para impedir que o cliente use um celular homologado para fazer o cadastro do chip e depois troque por um pirata, o sistema também vai passar a acompanhar o IMEI dos aparelhos usados por todas as linhas habilitadas a partir do primeiro trimestre do ano que vem. Entretanto, quem já tem um chip habilitado, e utiliza um aparelho ilegal, vai poder continuar usando após a entrada em operação do sistema, pois eles não vão ser reconhecidos.

BARACK OBAMA reconheceu o valor do Deputado Raimundo Louro

Raimundo Louro mais uma vez obteve sucesso em sua carreira internacional, como coordenador da campanha de Barack Obama.

Barack: Raimundo thank you, without you it would not have achieved their collaboration in these last days of thecampaign made ​​the difference. Accept this medal, and not only leaves you send in your town because unfortunately there is no airport on the floor of the carriage and will never exist. 

(Raimundo muito obrigado, sem você não teria conseguido, sua colaboração nesses últimos dias de campanha fizeram a diferença. Aceite essa medalha, e só não mandarei deixá-la na sua cidade porque infelizmente lá não existe aeroporto e no andar da carruagem nunca existirá.)

Fontes: Blog do Moisés Abílio

Resultados da OGX mostram avanços na região do MÉDIO MEARIM

meros do 3º trimestre revelam investimentos no projeto do Campo de Gavião Real, no MA.

A OGX, empresa de óleo e gás do Grupo EBX, anunciou ontem os resultados referentes ao terceiro trimestre do ano. O período foi marcado pela contabilização de receitas de vendas de cerca de 800 mil barris pela primeira vez desde o início da produção comercial da companhia, além da obtenção da licença para operar blocos em águas profundas e ultraprofundas, e avanços nas obras da Unidade de Tratamento de Gás (UTG) na Bacia do Parnaíba, no Maranhão, cujo comissionamento começará neste quarto trimestre.

“Seguimos com o desenvolvimento do Campo de Tubarão Martelo, na Bacia de Campos, e do projeto do Campo de Gavião Real, na Bacia do Parnaíba, no Maranhão, onde estimamos iniciar a produção comercial de gás no começo de 2013. Esperamos investir em 2013 cerca de US$ 1,2 bilhão em capex (investimento em bens de capital) para continuar entregando resultados consistentes, tanto na exploração quanto na produção", afirmou o diretor-presidente da OGX, Luiz Carneiro.

Na Bacia do Parnaíba (no Maranhão) o desenvolvimento do projeto do Campo de Gavião Real se encontra dentro do cronograma, com três sondas focadas no desenvolvimento da produção. A OGX já perfurou todos os 16 poços produtores previstos para a fase inicial do projeto, que estão em fase de completação e de interligação à UTG.

No fim de setembro, a companhia recebeu a Licença de Operação (LO), emitida pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais do Maranhão (Sema/MA), autorizando o início da produção e escoamento de gás natural nos Campos Gavião Real e Gavião Azul. O projeto encontra-se em fase final com o término das montagens mecânicas e cabeamentos; testes das malhas de controle e equipamentos; lançamentos dos dutos; e montagem do prédio administrativo.

A produção de gás natural no Campo de Gavião Real será iniciada no quarto trimestre, com o comissionamento da UTG e das turbinas da UTE Parnaíba da MPX. A geração comercial de energia elétrica se dará no início de 2013. Este é o primeiro projeto de produção de gás natural integrado à geração de energia elétrica desenvolvido no Maranhão.
No âmbito exploratório, a OGX continua com fortes expectativas na Bacia do Parnaíba, com a perfuração de novos prospectos.

Resultados

A OGX encerrou o terceiro trimestre deste ano tendo reconhecido pela primeira vez receita de vendas no valor de R$ 150,7 milhões e Ebitda negativo de R$ 51,6 milhões, resultado decorrente da não contabilização da quarta carga vendida pela OGX, à indiana Reliance, no trimestre em questão.

AINDA A ESPERANÇA - por Allan Roberto

Em 2007 e 2008 eu escrevia artigos para o Jornal Pequeno de São Luís e Panorama Regional de Pedreiras e região, que eram com minha permissão republicados pelo Jornal/Blog Turma da Barra, de Barra do Corda e por um Blog/Jornal de Arari que no momento não me recordo do nome. 

Em abril de 2008 o mundo “fervia” com a iminência das prévias do Partido Democrata norte-americano e a ferrenha campanha entre seus dois candidatos, Hillary Clinton e Barack Obama. Mas “pegava fogo” mesmo no mundo era a explosão do sucesso popular de Obama, o que a imprensa mundial chamava na época de “obamamania”, pelo inusitado de sua personalidade e trajetória pessoal historicamente ímpares em toda a história americana. Isso ainda a sete meses da eleição que o elegeu e ainda sem ele ser de fato escolhido candidato, pois a toda poderosa Hillary tinha tudo para vencer nas prévias democratas. Contagiado pela “obamamania”, escrevi naquele abril/2008 o artigo abaixo publicado nos órgãos de imprensa citados acima. Vejamos: 


Sempre a esperança 

É inerente à condição humana manter a inquietude e procurar transformar situações que não lhe estão agradáveis, mesmo que muitas vezes a mudança esperada redunde em mesmice ou retrocesso... Mas o que diferencia o Homem dos demais animais é a inteligência – do latim intro leggere, que significa ser capaz de ler dentro, além das aparências (não é a quantidade de cultura e memória que um indivíduo tem, como erroneamente pensa a maioria das pessoas). Cientificamente o conceito de inteligência é a capacidade de o indivíduo transformar e/ou adaptar-se a novas situações ou adaptar as situações as suas necessidades. Portanto, explicado está essa inquietude e busca de transformação nas pessoas, pois mesmo o mais medíocre ser humano é dotado de inteligência, que o impulsiona a querer mudar o que não lhe agrada ou o que não lhe é conveniente. Sendo assim, podemos concluir que a esperança é irmã da inteligência e exclusiva dos humanos. 

E é para falar de inteligência, mudança e esperança que fiz toda essa introdução acima. Mas é mudança em outra pátria, bem distante daqui, porém nos interessa porque o que ocorre lá é sentido positivo ou negativamente em todo o mundo. Falo do processo eleitoral nos Estados Unidos-EUA, numa situação interessante, que parece ser possível colocar um homem jovem, negro, de origem muçulmana e africana e sem tradição política extensa no mais importante cargo da nação de maior poder político, econômico e bélico do mundo. Barack Hussein Obama galga a cada dia a proximidade de disputar pelo Partido Democrata a vaga de Presidente dos Estados Unidos com John McCain, do Partido Republicano, o mesmo do atual Presidente George W. Bush. Barack (abençoado, em árabe) é senador pelo estado de Illinois desde 2005 e depois de vencer as votações de Washington-DC, Maryland e Virginia ultrapassou a pré-candidata democrata e ex-primeira-dama Hillary Clinton na preferência do eleitorado democrata e de lá até agora permanece na crista da onda, indicado pelas pesquisas como o único capaz de vencer o candidato republicano. 

O simbolismo da Obamamania americana é enorme para o mundo. Há três meses ele era um mero candidato desconhecido, todas as atenções eram para Hillary, mas quando o país prestou atenção na sua oratória eloqüente e incendiária, que martela a necessidade de mudança nos EUA e evoca a necessidade do povo americano acreditar e ter esperança de poder fazer as transformações necessárias, a nação americana foi tomada a la superstar por sua imagem esguia, negra e frágil e os cartazes escritos com as mensagens “Change - we can believe it!” (Mudança – nós podemos acreditar!) e “Stand for Change!” (Procure Mudar!) foram tomando messianicamente todos os pontos da terra do Tio Sam. Pregando a retirada das tropas americanas do Iraque, uma relação mais solidária dos EUA com o resto do mundo, investimentos sociais para a melhor qualidade de vida de grande parte da população americana, mais tolerância e oportunidades com os imigrantes estrangeiros e mudanças econômicas drásticas na economia americana quebrada por Bush, que coloca o mundo à beira do caos econômico, provocado principalmente pelas despesas desnecessárias com a guerra do Iraque (devaneio irresponsável e vaidade inconseqüente de Bush), assim o carismático descendente do Quênia desponta para o mundo como sinal de que a política econômica e externa norte-americana podem ser duras, mas a mente e o coração de seu povo são sensíveis, solidários e dóceis. 

Mesmo que não seja o escolhido pelos notáveis do Partido Democrata para concorrer (as regras eleitorais americanas são tão estapafúrdias que Bush foi reeleito sem ter tido a maioria dos votos...) ou que seja o candidato democrata e não vença a eleição e perca para o conservador McCain, Obama, só pelo desempenho atual, já é o maior vitorioso desse processo eleitoral yankee e já entrou para a história pela simbologia que representa para o mundo a mais poderosa nação mundial escolher alguém com seu currículo e história pessoal para representar a fé do povo norte-americano em mudanças. Importante ressaltar o caráter ímpar de simbolismo e evolução desse processo eleitoral, em que desponta como candidato conservador o mais light deles (McCain) e pelos democratas a experiente e altiva Hillary Clinton, mulher, senadora, ex-primeira-dama de inteligência e capacidade renomadas, além do democrata Obama com as características que já exploramos acima. Para um país que até há menos de cem anos os negros eram proibidos de fazer faculdade e eram segregados severamente em todos os sentidos de relações sociais, a expressão da escolha de Obama e a concorrência com a feminista Hillary representam uma progressão louvável das relações democráticas e de poder exemplarmente escancaradas para o entendimento mundial. 

E temos que nos preocupar com o que acontece nos EUA, pois a economia globalizada faz com que hoje nos preocupemos com os destinos políticos das maiores economias e nações mundiais, já que se elas derem um simples espirro, esse espirro vai ser sentido como pneumonia nas mais longínquas corruptelas e rebimbocas das nossas cidades tupiniquins. Portanto, é torcer ou pelo neguim ou pela muié. 

Pois é. O resultado todos nós já sabemos. Obama venceu Hillary nas prévias democratas e venceu o republicano John McCain na eleição presidencial em novembro de 2008, tendo como mote de campanha o famoso “Change. Yes, we can!” (Mudar. Sim, nós podemos!). Fez um governo todo centrado no ser humano, não na economia e na guerra, e deu ao mundo demonstrações várias de evolução e civilidade, começando por nomear sua maior e mais ferrenha adversária democrata Hillary Clinton para o cargo chave e mais poderoso de seu governo, a Secretaria de Estado Americana. 

Veio agora o novo processo eleitoral americano. Obama vence esmagadoramente a eleição do conservador e republicano Mitt Romney e os lemas da campanha dessa vez eram “Forward” (Pra frente!) e “More four years!” (Mais quatro anos!). E proclama em seu discurso de vitória: “Livre-se dos bajuladores. Mantenha perto de você pessoas que te avisam quando você erra.” Maquiavel já dizia isso há mais de 500 anos e já escrevi isso aqui. Pena que os nossos chefetes locais, regionais e estaduais não tenham essa grandeza e essa inteligência. Pelo contrário! Adoram os bajuladores e odeiam de morte e perseguem os críticos sinceros. Que aprendam com Obama as nossas lideranças tupiniquins. Por isso ele é o homem mais poderoso do mundo e seu povo o reconduziu ao poder. Valeu, Obama! O mundo agradece. 

*Allan Roberto Costa Silva, médico, ex-presidente da Câmara Municipal de Pedreiras, membro da Academia Pedreirense de Letras e membro da Associação de Poetas e Escritores de Pedreiras. E-mails: arcs.rob@hotmail.com ou allanrob@bol.com.br 


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...